Please note that JavaScript and style sheet are used in this website,
Due to unadaptability of the style sheet with the browser used in your computer, pages may not look as original.
Even in such a case, however, the contents can be used safely.

  1. Home
  2. Case Studies
  3. Instituto de Identificação da Polícia Civil do Distrito Federal do Brasil

Instituto de Identificação da Polícia Civil do Distrito Federal do BrasilSolução de Identificação Civil e CriminalSistema da NEC Automated Fingerprint Identification (AFIS) realizou serviço de 100% para a emissão de documento de identidade e maior produtividade dos peritos, chefes de polícia e policiais civis.

Portuguese Spanish English

Introdução

photo

Brasília é a capital da República Federativa do Brasil. Inaugurada em 1960, seu projeto urbanístico e arquitetônico teve reconhecimento internacional. Logo nos primeiros anos da fundação da cidade, foi inaugurado o Instituto de Identificação da Polícia Civil do Distrito Federal, com a missão de realizar as identificações civis e criminais para emissão de documentos de identidade e para a realização de perícias papiloscópicas. Desde então, o Instituto é reconhecido nacionalmente pelo serviço exemplar que presta.

Desafios

Com o crescimento da população de Brasília nas últimas décadas, ficou evidente a necessidade de modernização do Instituto de Identificação. Na esfera civil, o aumento da procura para emissão de documento civil dificultou o rápido atendimento e, ao mesmo tempo, fragilizou o sistema que assegurava a unicidade de cada registro do cidadão em razão da quantidade de padrões datiloscópicos arquivados manualmente.

Na esfera criminal, o processo de análise manual com separação e pesquisa das fichas dactilares e de fragmentos de impressões latentes inviabilizava uma maior ajuda da solução de crimes. Não havia condições de pesquisar um fragmento papiloscópico em um banco de um milhão de pessoas de forma eficiente, colocando em risco a cidadania e o sistema de provas que ampara o sistema legal.

O grande desafio era modernizar o sistema, implantando uma tecnologia capaz de identificar as pessoas por meio de suas impressões digitais em um universo de milhões de registros, de forma rápida e segura.

Solução

O sistema automatizado de identificação de impressões digitais AFIS da NEC foi a resposta, oferecendo uma solução completa para identificação do indivíduo com softwares especializados, treinamento e serviços de suporte, incluindo a manutenção do sistema após a sua implementação.

“Concluímos que a NEC tornou-se um parceiro importante do Instituto de Identificação. Compramos um diamante, e esse diamante foi lapidado. Já está praticamente pronto e tornou-se uma pedra preciosa para a segurança pública do Distrito Federal”, disse Nadiel Dias da Costa, Diretor Adjunto do Instituto de Identificação da Polícia Civil do Distrito Federal.
O principal diferencial do sistema AFIS da NEC é o algoritmo de pesquisa de latentes desenvolvido e patenteado pela empresa.

O algoritmo não só considera a posição das minúcias como também faz a relação entre elas, realizando a contagem do número de cristas, etc. Como resultado deste constante aprimoramento técnico, o sistema alcançou a liderança na avaliação do nível de precisão e confiabilidade realizada pelo NIST – Instituto Nacional de Padrões e Tecnologia, órgão responsável pela padronização e avaliação das tecnologias de reconhecimento de impressões digitais sediado nos Estados Unidos. Alinhado ao padrão internacional ANSI/NIST, a arquitetura do sistema AFIS da NEC permite a conectividade com todos os sistemas que cumprem esse padrão.

A implementação do sistema foi realizada em três etapas:

  • Conversão de 3 milhões de registros de impressões digitais em um formato compatível com o sistema AFIS
  • Instalação e integração do equipamento, incluindo a configuração dos servidores de compatibilização, processamento e ajuste geral do sistema
  • Treinamento dos usuários finais O sistema AFIS cria um banco de dados, pesquisa, analisa, faz a conferência e o controle das impressões digitais coletadas, o que facilita a emissão da carteira de identidade, eliminando a ocorrência de duplicidade e dificultando a fraude. No campo criminal, a base de dados é usada para identificação de impressões latentes encontradas em cenas de crime.

A NEC tem mais de 40 anos de experiência em P&D na tecnologia de identificação de impressões digitais e opera em mais de 30 países em todo o mundo. O Centro Regional de Competências da América Latina da NEC para Segurança Pública uniu os recursos globais na NEC para implementar o projeto da melhor forma possível.

Resultado

Na área criminal, a resolução de crimes, como roubos, homicídios, estupros e agressões, tornou-se muito mais eficiente. Uma varredura realizada na base de dados de impressões digitais, de 2000 a 2008, permitiu, em apenas 8 dias, 111 identificações positivas de impressões digitais de suspeitos de crimes não solucionados até então. Além disso, o sistema permitiu que uma operação policial especial contra furtos e roubos atingisse o nível de 440 casos resolvidos em apenas 22 dias.

Um outro resultado significante foi obtido em uma operação para identificar corpos enterrados como indigentes. Foram solucionados 17 casos, referentes ao período de 1996 a 2011.
Essa operação proporcionou às famílias a possibilidade de dar um enterro digno e de buscar os benefícios sociais, como aposentadorias, seguros, inventários, etc. Além disso, a polícia poderá deixar de investigar casos de simples desaparecimento, visto que a experiência mostra que a maioria dos casos de cadáveres encontrados em adiantado estado de decomposição está relacionada a algum crime – principalmente de homicídio.

Na área de identificação civil, a Polícia Civil do Distrito Federal obteve benefícios importantes. Com a implantação do sistema, 100% dos requerentes de documentos de identidade foram atendidos, acabando com filas e reclamações. No ano de 2011, o Instituto de Identificação emitiu 249.000 documentos de identidade, um aumento de 38,49% em relação a 2008, quando foram atendidos 180.131 requerentes através do processo manual de identificação.

Segundo Massato Takakuwa, Diretor de Negócios para Governo da NEC, “O que nós aprendemos com esse processo é que a parceria realizada entre as equipes da NEC e do Instituto de Identificação da Polícia Civil do Distrito Federal permitiu o aprimoramento do sistema como um todo”.

“Não basta você ter o melhor sistema, deve existir o envolvimento das equipes para que esse sistema seja mais bem operacionalizado. E a nossa parceria garantiu o sucesso do projeto”, afirma o Dr. Carlos Cesar de Sousa Saraiva, Diretor do Instituto de Identificação da Polícia Civil do Distrito Federal.

Essa sólida parceria, aliada ao sistema único AFIS da NEC, criou as melhores condições para que fosse entregue à população do Distrito Federal um serviço que amplia a segurança, a justiça e o sentimento de cidadania.

Sobre o Instituto de Identificação

O Instituto de Identificação da Polícia Civil do Distrito Federal, órgão subordinado ao Departamento de Polícia Técnica, desenvolve atividades que envolvem planejamento, coordenação, supervisão, controle e execução de trabalhos periciais papiloscópicos relativos ao levantamento, à coleta, à análise, à codificação, à decodificação e à pesquisa de padrões e vestígios papilares; trabalhos periciais de prosopografia, iconográfico, envelhecimento, rejuvenescimento, representação e reconstituição facial humana, elaboração dos respectivos laudos periciais, bem como a realização de estudos e pesquisas técnico-científicas visando o aprimoramento das perícias atinentes ao cargo.

Perfil do Cliente

Instituto de Identificação da Polícia Civil do Distrito Federal do Brasil

 
Tipo de negócio Government
Estabelecida 1960

(June 18, 2012)